Procurando nova proposta de Trabalho?

Empregos Manager Online

Procurando uma oportunidade no mercado?

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Deus quer falar com você!!

Pesquise

domingo, 23 de março de 2014

INICIE A CAÇA AO EMPREGO

10 passos para encontrar emprego Inicie a caça ao emprego O pensamento é importante nesta situação. Há determinadas coisas que deve ter em conta quando sai à caça de um emprego. Tais como: - Ir à caça de emprego é a mesma coisa que ter que se promover e mostrar o seu talento; - Caçar um emprego demora o seu tempo, nada aparece de repente; - Siga um plano, mas seja flexível; - Não desista facilmente, a esperança é sempre a ultima a morrer. Escreva sobre si Identifique e escreva quais são os seus pontos de interesse, quais as suas qualidades, os seus valores, necessidades e hábitos de trabalho. Se estiver bem ciente da sua personalidade, é mais fácil para si determinar qual o emprego ideal para si. Determine os seus objectivos Que tipo de função é que pretende desempenhar? Que tipo de actividades é que lhe dão mais prazer em executar? Qual a empresa indicada para si? Tem preferência em arranjar um emprego na sua zona geográfica, ou para si tanto faz ser perto de casa como a quilómetros de distância? Saiba primeiro o que quer antes de começar a procurar. Se souber o que quer logo à priori, a caça ao emprego vai ser mais fácil para si. Crie uma pasta sobre a sua carreira Prepare e arranje documentos tais como: - Cartas de resposta a anúncios, cartas de resposta de empresas à sua candidatura; - O seu curriculum vitae; - Cartas de recomendação; - Diplomas de cursos, certificados; - Prémios e Lembranças; - Cartões de visita de empresas, de contactos. Organize um grupo de suporte Escolha algumas pessoas para o ajudar a completar algumas tarefas que sejam necessárias nesta caça ao emprego. Estas pessoas para além de o ajudar neste desafio, vão apoiá-lo. Não se esqueça que várias cabeças pensam melhor do que uma. Empresas alvo Seleccione as empresas que acha que são ideais para si e que têm grandes possibilidades de o contratar. Escolher as empresas que mais lhe interessam é meio caminho andado na sua caça ao emprego. Procure as empresas que precisam de pessoas com o seu talento e com o seu perfil. Tente descobrir o nome da pessoa que está responsável pelos cargos a que você se candidata. Prepare-se Prepare todos os documentos necessários para apresentar a cada uma das empresas seleccionadas, nomeadamente: cartas de recomendação, certificados, currículo, etc… Entregue em mãos ou envie por correio ou por e-mail à pessoa responsável pelas contratações. Mostre de maneira elucidativa que você pode vir a ser uma mais valia para a empresa. A entrevista Antes de ir para a entrevista faça uma pequena pesquisa sobre a empresa em causa. Vista-se de forma apropriada para a ocasião, pois não se esqueça que a imagem é o seu cartão de visita. Entre para a entrevista disposto a negociar aquilo que eles lhe oferecerem, seja humilde. A resposta à proposta de emprego Esta é a etapa da apreciação. Avalie as condições propostas pela empresa e caso aceite a proposta oferecida, telefone para lá a confirmar a sua resposta e pergunte quando pode começar o seu novo emprego. Caso recuse a oferta de emprego telefone para lá a dizer qual foi a sua decisão e que agradece a atenção dispensada e a oportunidade oferecida. Avalie todo o processo de caça ao emprego Se por acaso não conseguiu alcançar o emprego desejado, faça algumas perguntas a si próprio: - Fiz tudo o que era necessário fazer? - Fiz algo de errado durante esta caça? - Onde é que eu posso melhorar ? Não desista, pense positivo e vai ver que mais cedo ou mais tarde vai aparecer uma daquelas propostas de emprego que dificilmente dirá que não.

É sempre bom lembrar... Há os que nasceram para a posição e outros que a ocupam temporariamente...

sábado, 8 de março de 2014

AS 10 PROFISSÕES EM ALTA NO BRASIL

As 10 profissões em alta no Brasil Confira as faixas salariais e o que cada profissão faz More Sharing ServicesCompartilhar inShare Imprimir Vaga Confiantes na economia do País, empresas nacionais e multinacionais planejam contratar mais profissionais nos próximos anos. Para isso, as exigências de qualificação também estão aumentando. O otimismo dos empregadores determinou uma crescente formalização na relação com os trabalhadores. O último recenseamento revela que 63,9% da população tinham carteira assinada em 2010, contra 54,8%, em 2000. Segundo um relatório da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, em fevereiro desse ano, a expectativa de contratação para os próximos anos permanecerá aquecida. Uma pesquisa intitulada Perspectivas Estruturais do Mercado de Trabalho na Indústria Brasileira – 2020, ouviu, de 402 empresas brasileiras – que, juntas, empregam 2,2 milhões de pessoas – quais os setores que demandarão mais profissionais nos próximos anos. De acordo com o estudo, quem deve liderar as contratações no País é a área da engenharia, além do segmento comercial – este último um dos principais empregadores de uma economia que caminha, cada vez mais, em direção ao setor de serviços. “Depois de organizar suas finanças, as empresas estão buscando apresentar melhores resultados neste ano. Isso significa maximizar os lucros, o que se reflete no perfil das contratações”, diz Paulo Pontes, presidente da filial brasileira da Michael Page, uma das principais agências de recrutamento de executivos de média e alta gerência do País. Para isso, as companhias brasileiras estão aumentando as suas exigências. Segundo o relatório da FIRJAN, 69,1% das empresas ouvidas requerem, no mínimo, algum tipo de pós-graduação para profissionais de nível superior. Já para mais da metade delas, o diploma universitário é indispensável, inclusive para profissionais de nível médio/técnico. O “Você Sabia?” ouviu diversos especialistas, para descobrir dez profissões que devem permanecer aquecidas nos próximos anos: 1 – Engenheiro de Petróleo Quanto ganha (média): R$ 14.000 O que faz: é responsável pelo desenvolvimento de projetos de exploração do petróleo e seus derivados em poços e jazidas, buscando maior eficiência na produção sem danos ao meio-ambiente. Com a descoberta do pré-sal, a profissão ganhou alma própria e a formação é oferecida, hoje, nas principais universidades do país. 2 – Engenheiro de mobilidade Quanto ganha (média): R$ 12.000 O que faz: supervisiona grandes obras de infraestrutura, verificando se estão adequadas às normas legais. Nos grandes centros, é encarregado de gerenciar o planejamento do transporte urbano. A carreira entrou no radar dos recrutadores depois que o Brasil foi confirmado como sede de grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. 3 – Engenheiro ambiental e sanitário Quanto ganha (média): R$ 8.000 a R$ 12.000 O que faz: concebe e executa projetos que diminuam o dano causado pela ação humana ao meio-ambiente. A profissão é cada vez mais requisitada por grandes empresas e governos, conscientes do seu compromisso com o desenvolvimento sustentável. 4 – Médico do Trabalho Quanto ganha (média): R$ 10.000 a R$ 16.000 O que faz: trata-se de um ramo da medicina especializado na promoção do bem-estar e da saúde dos trabalhadores. Profissionais dessa área avaliam a capacidade de um candidato de executar determinada tarefa, além de realizar exames de rotina nos funcionários para verificar o cumprimento das obrigações trabalhistas. 5 – Gerente de Recursos Humanos Quanto ganha (média): R$ 8.000 a R$ 14.000 O que faz: é responsável por recrutar novos profissionais e assegurar a permanência dos antigos. Antes subestimada, a profissão saiu da obscuridade e conquistou importância, na medida em que as empresas perceberam a necessidade de reter bons profissionais face à concorrência. 6 – Controller Quanto ganha (média): R$ 10.000 a R$ 20.000 O que faz: analisa e interpreta as informações contábeis das empresas, de forma a reduzir perdas e maximizar o lucro, utilizando, para isso, conhecimentos avançados de administração. Atua no centro nervoso da companhia, controlando os campos da contabilidade e da administração. 7 – Advogado de contratos Quanto ganha (média): R$ 10.000 a R$ 14.000 O que faz: analisa e redige contratos. É uma das áreas do Direito que mais têm crescido, acompanhando a escalada das fusões e aquisições de empresas no Brasil. 8 – Gerente comercial/vendas Quanto ganha (média): R$ 8.000 a R$ 18.000 O que faz: é responsável pelo planejamento e controle das vendas, desde a saída dos produtos da fábrica até a chegada à casa dos consumidores. Cada vez mais disputado pelas empresas, precisa ser bem relacionado e carismático, com conhecimentos avançados de administração e marketing. 9 – Biotecnologista Quanto ganha (média): R$ 4.000 a R$ 5.000 O que faz: pesquisa a criação, a melhoria e o gerenciamento de novos produtos nas áreas de saúde, química, ambiental e alimentícia. Na área da microbiologia, pode atuar na produção de vacinas. É cada vez mais requisitado pelas indústrias que estão cientes da necessidade da otimização da cadeia produtiva. 10 – Técnico em Sistemas de Informação Quanto ganha (média): R$ 2.000 a R$ 3.000 O que faz: profissional de nível médio, responsável pela criação e análise dos sistemas de armazenamento e coleta de dados de uma companhia.

domingo, 4 de agosto de 2013

A LINGUAGEM CORPORAL NA ENTREVISTA DE EMPREGO

A LINGUAGEM CORPORAL NA ENTREVISTA DE EMPREGO A linguagem corporal se refere a todas as expressões através dos movimentos, posturas ou gestos que interagem com o receptor da mensagem. Para ter sucesso em uma entrevista de emprego não é somente necessário se preparar verbalmente, as outras formas de comunicação são tão relevantes para o entrevistador, mesmo que inconscientemente, do que as respostas dadas pelo entrevistado. Aproximadamente 70% da comunicação humana se baseia em gestos e atitudes corporais, por isso é importante em uma entrevista de emprego que se passe uma imagem positiva através da linguagem corporal. Atráves de gestos e atitudes corporais pode se mostrar confiança, credibilidade e interesse pela empresa em que se está procurando trabalhar. É importante saber usar a linguagem corporal a seu favor, os entrevistadores são treinados para compreender esta linguagem, e através desta poder passar informações que podem não ter sido passadas verbalmente. Não é possível controlar totalmente a sua linguagem corporal, porém você pode ver abaixo qual a interpretação dada a posturas comuns em entrevistas de empregos. Corpo Inclinado em Direção a Outra Pessoa: Atitude positiva, demonstra interesse pela outra pessoas e pelo assunto que está sendo discutido na conversação. Braços Cruzados: Relacionado à postura defensiva, pode identificar que o entrevistado não se sente confortável ou confiante naquele ambiente em que se está fazendo a entrevista. Uma atitude negativa. Sobrancelhas: É impossível não revelar informações atráves das sobrancelhas, estas podem passar uma atitude postiva quando arqueadas, mostrando interesse, ou quando franzidas podem significar certa dúvida, uma atitude negativa. Gestos Repetitivos: Fazer gestos repetitivos durante uma entrevista de emprego pode demonstrar ao entrevistador certa ansiedade, mostrando para ele que você quer que a entrevista acabe. Uma atitude negativa. Gestos com as Mãos e Braços: A utilização destes gestos, sem exagero ou repetição, é uma atitude positiva. Os estudos de linguagem corporal mostram que o uso de tais artifícios indicam que o entrevistado possui convicção naquilo que ele está falando para o entrevistador, utilize este recurso sem exageros para que ele não se tranforme em uma atitude negativa como demonstrada na atitude de gesto repetitivo. Embora seja muito difícil se lembrar de cada uma destas atitudes, é preciso possuir conhecimento destas para não se passar uma imagem negativa. Porém é importante ressaltar que a principal característica procurada pelo entrevistador é a naturalidade, procure não se atar somente as recomendações deste artigo e tente adaptá-las as suas atitudes já utilizadas previamente.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

PÓS GRADUAÇÃO AO ALCANCE DE TODOS

Atualize-se, faça uma pós, acesse: http://www.avm.edu.br/novo_site2/iavm.asp Educação AVM Faculdade Integrada, há mais de 15 anos de experiência oferecendo qualidade de ensino. Conheça nossos cursos de graduação e pós-graduação. PÓS-GRADUAÇÃO PRESENCIAL Cursos voltados para profissionais que buscam uma especialização nas áreas de Direito, Educação, Gestão, Marketing e Tecnologia, bem como desenvolver e ampliar conhecimentos. VER CURSOS PÓS-GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA Os programas de Pós- Graduação a distância da AVM oferecem mais de 200 cursos para profissionais interessados em especialização e ascensão profissional. Atenta às transformações do mundo globalizado, em que a tecnologia oferece novas alternativas para ultrapassar os limites de tempo e espaço, a AVM promove educação de qualidade com metodologias inovadoras. VER CURSOS GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA A Graduação da AVM foca no ensino teórico e prático. Devidamente credenciada para oferecer cursos superiores a distância, a AVM possui corpo docente altamente qualificado. Pós-Graduação Presencial EXPANDIR RECOLHER ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE ADMINISTRAÇÃO E SUPERVISÃO ESCOLAR ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE ARTETERAPIA EM EDUCAÇÃO E SAÚDE AUDITORIA E CONTROLADORIA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM COMPLEMENTAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA COMPLEMENTAÇÃO PEDAGÓGICA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL DIREITO AMBIENTAL DIREITO DA CONCORRÊNCIA E PROPRIEDADE INTELECTUAL DIREITO DA ENERGIA, PETRÓLEO E GÁS DIREITO DESPORTIVO DIREITO DO CONSUMIDOR (CURSO DE EXTENSÃO) DIREITO DO CONSUMIDOR E RESPONSABILIDADE CIVIL DIREITO E PODER JUDICIÁRIO DIREITO E PROCESSO DO TRABALHO DIREITO E PROCESSO PENAL DIREITO EMPRESARIAL DIREITO INTERNACIONAL E DIREITOS HUMANOS DIREITO PRIVADO E CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PÚBLICO E TRIBUTÁRIO DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR ECOTURISMO EDUCAÇÃO AMBIENTAL EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA EDUCAÇÃO INFANTIL E DESENVOLVIMENTO ENGENHARIA DA PRODUÇÃO EXCELÊNCIA NO DIREITO IMOBILIÁRIO FINANÇAS E GESTÃO CORPORATIVA GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS GERENCIAMENTO INTEGRADO DE INFRAESTRUTURA PREDIAL E INDUSTRIAL / FACILITIES MANAGEMENT GERONTOLOGIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE EVENTOS GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO DE SISTEMAS INTEGRADOS EM QSMS/SGI GESTÃO DE TURISMO GESTÃO DE VAREJO GESTÃO E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO GESTÃO EM HOTELARIA GESTÃO EM INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS GESTÃO EM RELACIONAMENTO COM CLIENTES E OUVIDORIA GESTÃO EMPRESARIAL GESTÃO ESTRATÉGICA DE VENDAS E NEGOCIAÇÃO GESTÃO NO SETOR PETRÓLEO E GÁS GESTÃO PÚBLICA INTELIGENCIA EMOCIONAL NAS ORGANIZAÇÕES LOGÍSTICA EMPRESARIAL MARKETING MBA EM CONTRATOS NAS RELAÇÕES DE CONSUMO MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE PESSOAS MBA EXECUTIVO EM MARKETING MEDIAÇÃO DE CONFLITOS COM ÊNFASE EM FAMÍLIA NEUROCIÊNCIA PEDAGÓGICA ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL E PEDAGÓGICA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL E COACHING DE CARREIRAS PEDAGOGIA EMPRESARIAL PSICOLOGIA CLINICA: ABORDAGEM CENTRADA NA PESSOA PSICOLOGIA JURÍDICA PSICOMOTRICIDADE PSICOPEDAGOGIA RELAÇÕES INTERNACIONAIS TECNOLOGIA EDUCACIONAL TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL TERAPIA DE FAMÍLIA TRANSMIDIA: GESTÃO DE MÍDIAS DIGITAIS UNAT - CURSO DE ATUALIZAÇÃO AULAS 1 VEZ NA SEMANA : Segunda a Sábado | Manhã: De 8h às 12h | Tarde: De 13h às 17h | Noite: De 18h30 às 22h30 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA INSCRIÇÃO: Xerox autenticada do diploma ou Certidão de graduação Xerox da identidade Xerox do CPF Comprovante de residência 1 foto 3x4 atual

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Início de 2013....Emprego ou Trabalho??

Durante a primeira fase da sua vida profissional, o ser humano luta com todas as forças para conseguir um emprego, não importa onde nem como ou mesmo no que, desde que tenha a oportunidade de mostrar a real capacidade de produzir alguma coisa útil para conquistar alguns trocados. Num primeiro momento, ele não está muito preocupado com esse negócio de vocação, missão ou com o fato de encontrar algo que goste de fazer. Nessa fase, o que importa mesmo é a vontade de progredir e de se sentir aceito pela sociedade. Com o tempo, descobre-se que existe uma diferença considerável entre emprego e trabalho. Emprego é o que você faz por dinheiro; trabalho é o que você faz por amor. Emprego é aquilo que você encontra facilmente; trabalho é o que você demora a encontrar e muitos talvez nunca encontrem. Emprego nem sempre tem algo a ver com a sua vocação; trabalho tem tudo a ver com a sua vocação. Emprego é o que move as pessoas para trás; emprego é o que move as pessoas para frente. Emprego é algo que se deseja para sobreviver; trabalho é algo que provoca sentido de realização. A maioria das pessoas vai passar a vida toda correndo atrás de emprego apenas para satisfazer suas necessidades básicas. Talvez elas não queiram nada mais do que um simples emprego e não há nada de mal nisso. Cada um vive à sua maneira, afinal, não está escrito em lugar algum que ambição e crescimento profissional são obrigatórios na vida de ninguém. Apesar dessa constatação, é fácil encontrar pessoas que reclamam com frequência do cargo, do salário, do chefe, da falta de reconhecimento e até mesmo da vida que lhes parece injusta. Pior do que isso, o tempo passa e quando você as encontra novamente, de tempos em tempos, descobre que elas estão na mesma empresa, no mesmo cargo, no mesmo setor ou departamento, praticando o mesmo discurso e talvez ganhando o mesmo salário. Em suma, a comodidade do emprego não desperta sentido de contribuição. Infelizmente, algumas empresas também adoram esse tipo de pessoa, sem ambição, do tipo que reclama, mas faz, o bom soldado. Parte delas prefere estimular a submissão que transforma os profissionais em verdadeiros autômatos sujeitos ao tempo produtivo do relógio, desde que isso não represente perigo para o seu crescimento nem signifique desperdício de dinheiro com treinamento e coisas do gênero. A realidade é dura. Não é tão simples encontrar o emprego ideal, aquele que se pode contar para todo mundo com orgulho e que provoca sorrisos de orelha a orelha cada vez que alguém pergunta o que você faz. Lamentavelmente, poucas pessoas foram orientadas a procurar trabalho, num sentido mais amplo. Em geral, as pessoas são orientadas a procurar um emprego e isso faz uma diferença enorme com relação à energia, ao tempo e ao modo como as pessoas se dedicam a uma profissão ou atividade. Um dos maiores avanços provocados pela Geração Internet e pela Sociedade da Informação foi a possibilidade de pensarmos que somos capazes de aprender tudo e fazer tudo, ou quase tudo. Entretanto, o que vai atestar a nossa capacidade de realização e a nossa credibilidade é a forma como nos relacionamos com a sociedade através do exercício da nossa profissão. Quanto mais próximos da vocação original, mais próximos da perfeição, da originalidade, do sentido de realização. Quanto mais trabalharmos com amor, maior o sentido de contribuição e maior a aceitação por parte da sociedade. Emerson, o grande pensador americano, dizia que leva-se muito tempo para descobrir o quanto somos ricos. Não nascemos prontos, mas nascemos com habilidades singulares que nos diferenciam de todos os demais seres humanos na face da Terra. Portanto, em vez de procurar um emprego, procure um sentido na vida, algo pelo qual valha a pena investir a maior parte do seu precioso tempo, algo que sinta orgulho de fazer e que transforme a sua vida num caminho digno de ser percorrido. A vida é curta para ser desperdiçada com coisas que não promovem o seu bem-estar e a felicidade das pessoas ao seu redor. Experimente isso e seja feliz! --------------------------------------------------------------------------------------------- Ideias e histórias compartilhadas em Palestras e Treinamentos Inesquecíveis

Emprego e Trabalho

Emprego e Trabalho 1. Emprego e Trabalho A maioria das pessoas associa as palavras trabalho e emprego como se fossem a mesma coisa, não são. Apesar de estarem ligadas, essas palavras possuem significados diferentes. O trabalho é mais antigo que o emprego, o trabalho existe desde o momento que o homem começou a transformar a natureza e o ambiente ao seu redor, desde o momento que o homem começou a fazer utensílios e ferramentas. Por outro lado, o emprego é algo recente na história da humanidade. O emprego é um conceito que surgiu por volta da Revolução Industrial, é uma relação entre homens que vendem sua força de trabalho por algum valor, alguma remuneração, e homens que compram essa força de trabalho pagando algo em troca, algo como um salário. Trabalho: De acordo com a definição do Dicionário do Pensamento Social do Século XX, trabalho é o esforço humano dotado de um propósito e envolve a transformação da natureza através do dispêndio de capacidades físicas e mentais. Emprego: É a relação, estável, e mais ou menos duradoura, que existe entre quem organiza o trabalho e quem realiza o trabalho. É uma espécie de contrato no qual o possuidor dos meios de produção paga pelo trabalho de outros, que não são possuidores do meio de produção. 2. O trabalho através dos tempos Ao longo da história da humanidade, variando com o nível cultural e com o estágio evolutivo de cada sociedade, o trabalho tem sido percebido de forma diferenciada. Como lembra Peter Drucker, o trabalho é tão antigo quanto o ser humano. No ocidente, a dignidade do trabalho foi falsamente louvada por muito tempo. O segundo texto grego mais antigo, cerca de cem anos mais novo que os poemas épicos de Homero, é um poema de Hesíodo (800 a.C.), intitulado "Os Trabalhos e os Dias", que canta o trabalho de um agricultor. Porém, tanto no ocidente como no oriente esses gestos de louvor eram puramente simbólicos. Nem Hesíodo, nem Virgílio, nem ninguém da época, estudou de fato o que um agricultor faz e, menos ainda, como faz. O trabalho não merecia a atenção de pessoas educadas, abastadas ou com autoridade. Trabalho era o que os escravos faziam. Mas o trabalho é mais do que um instrumento criador de riqueza (posição dos economistas clássicos). Além do valor intrínseco, serve também para expressar muito da essência do ser humano (o homo faber). O trabalho está intimamente relacionada à personalidade. (Quando dizemos que fulano é um carpinteiro, um médico ou um mecânico, estamos, de certa forma, definindo um ser a partir do trabalho que ele exerce). No começo dos tempos, o trabalho era a luta constante para sobreviver (acepção bíblica). A necessidade de comer de se abrigar, etc. era que determinava a necessidade de trabalhar. O avanço da agricultura, de seus instrumentos e ferramentas trouxe progressos ao trabalho. O advento do arado representou uma das primeiras revoluções no mundo do trabalho. Mais tarde, a Revolução Industrial viria a afetar também não só o valor e as formas de trabalho, como sua organização e até o aparecimento de políticas sociais. A necessidade de organizar o trabalho, principalmente quando envolve muitas pessoas e ou muitos instrumentos e muitos processos, criou a idéia do "emprego". Nos tempos primitivos, da Babilônia, do Egito, de Israel, etc., havia o trabalho escravo e o trabalho livre; havia até o trabalho de artesãos e o trabalho de um rudimento de ciência, mas não havia o emprego, tal como nós o compreendemos atualmente. Na Antiguidade, não existia a noção de emprego. A relação trabalhista que existia entre as pessoas era a relação escravizador-escravo. Podemos tomar as três civilizações mais influentes de sua época e que influenciaram o Ocidente com sociedades escravistas, a epípcia, a grega e a romana. Nessa época, todo o trabalho era feito por escravos. Havia artesãos, mas estes não tinham patrões definidos, tinham clientes que pagavam por seus serviços. Os artesãos poderiam ser comparados aos profissionais liberais de hoje, já que trabalhavam por conta própria sem ter patrões. Para os artesãos não existe a relação empregador-empregado, portanto não podemos falar que o artesão tinha um emprego, apesar de ter uma profissão. Na Idade Média também não havia a noção de emprego. A relação trabalhista da época era a relação senhor-servo. A servidão é diferente da escavidão, já que os servos são ligeiramente mais livres que os escravos. Um servo podia sair das terras do senhor de terras e ir para onde quisesse, desde que não tivesse dívidas a pagar para o senhor de terras. Na servidão, o servo não trabalha para receber uma remuneração, mas para ter o direito de morar nas terras do seu senhor. Também não existe qualquer vínculo contratual entre os dois, mesmo porque senhor e servo eram analfabetos. Na Idade Moderna as coisas começam a mudar. Nessa época, existiam várias empresas familiares que vendiam uma pequena produção artesanal, todos os membros da família trabalhavam juntos para vender produtos nos mercados; não podemos falar de emprego nesse caso. Além das empresas familiares, havia oficinas com muitos aprendizes que recebiam moradia e alimentação em troca e, ocasionalmente, alguns trocados. É por essa época que começa a se esboçar o conceito de emprego. Com o advento da Revolução Industrial, êxodo rural, concentração dos meios de produção, a maior parte da população não tinha nem ferramentas para trabalhar como artesãos. Sendo assim, restava às pessoas oferecer seu trabalho como moeda de troca. É nessa época que a noção de emprego toma sua forma. O conceito de emprego é característico da Idade Contemporânea. Discorremos sobre o trabalho e as relações trabalhistas tendo em vista os quatro períodos históricos, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea para que ficasse visível a lógica da divisão da História em quatro períodos. Cada período histórico é marcado por uma organização sócio-político-econômico-cultural própria. Temos motivos para crer que esse fim de século XX é o início de um período de transição de onde passaremos da idade contemporânea para uma Idade pós-Contemporânea. As mudanças que vêm ocorrendo graças à tecnologia, principalmente a tecnologia da computação-telecomunicação, estão modificando as relações econômicas entre empresas, empregados, governos, países, línguas, culturas e sociedades. Essas mudanças parecem estar caminhando para uma situação tão diferente da existente no final da Segunda Guerra Mundial, que podemos dizer que um novo período da História está se esboçando. 3. Por quê estudar o Trabalho e o Emprego? O trabalho é essencial para o funcionamento das sociedades. O trabalho é responsável pela produção de alimentos e outros produtos de consumo da sociedade. Sendo assim, sempre existirá o trabalho. O conceito, a classificação eo valor atribuído ao trabalho são sempre questões culturais. Cada sociedade cria um conceito próprio, divide o trabalho em certas categorias e atribui-lhe um determinado valor. Quando essas condições se alteram, o trabalho também se altera, seja pela forma como se realiza (manual, mecânico, elétrico, eletrônico, etc.), seja pelos instrumentos-padrão que utiliza e assim por diante. Da mesma forma, a sociedade e seus agentes também variam na forma como organizam, interpretam e valorizam o trabalho. A forma como uma sociedade decide quem vai organizar o trabalho e quem o realizará; e a forma como o produto, a riqueza, produzida pelo trabalho é distribuída entre os membros da sociedade, determina as divisões de classes sociais. O trabalho é, talvez, o principal fator que determina a sociedade, suas estruturas e funcionamento; o inverso também é verdadeiro. Assim, enquanto existir uma sociedade, existirá trabalho, pois aquela não pode existir sem esta (o mesmo pode não ser verdadeiro em relação ao emprego). Fica claro que compreender o trabalho e o emprego é importante em qualquer ocasião e época; mas é mais importante ainda entender o trabalho quando a sociedade está em um processo de mudança, de revolução; pois o trabalho certamente será influenciado e influenciará as mudanças e a sociedade. Faremos um estudo sobre o que está ocorrendo com o trabalho e os empregos nesta revolução, que, supomos, seja inevitável, que se se vislumbra com o advento da sociedade da informação.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Na CBN - Max Gehringer SEXTA, 07/12/2012

Preste mais atenção aos colegas para saber suas qualidades e defeitos A observação pode elevar a auto-estima ou servir para melhorar o desempenho no trabalho. Leia mais: http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/max-gehringer/MAX-GEHRINGER.htm#ixzz2EbpYDhYR

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Procurando emprego???

Recebi este email, quem tem interesse entre e se cadastre, é gratuito!! Olá, tudo bem? Sou recrutadora do BNE - Banco Nacional de Empregos e preciso fechar algumas vagas dos nossos assinantes com o seu perfil. Cadastre seu currículo gratuitamente no site www.bne.com.br, e me mande uma confirmação por e-mail para que eu possa enviar seu currículo para as empresas responsáveis pelas vagas. O Cadastro e simples e Rápido! Aguardo seu retorno. Atenciosamente Lucas Soares - Recrutamento Telefone: 41 - 3037-9406 lucassoares@bne.com.br www.bne.com.br